A nova onda da favela

Imagem: Reprodução/ Tumblr Favela Wave

Através da estetização, a imagem de um sujeito o transforma em “homem signo” ou mesmo “homem-favela”, elemento representativo de toda a fisionomia de um espaço. Imagem: Reprodução/ Tumblr Favela Wave

Na contemporaneidade, imagens e cenários de áreas periféricas das cidades, em especial “favelas”, vão se modificando e, principalmente, passam a ter suas representações revistas, (re)criadas, estetizadas. Sejam modificações arquitetônicas (como a criação de conjuntos habitacionais ou projetos de loteamento, entre outros), sejam fatores midiáticos, como programas televisivos e discursos em redes sociais, ou ainda produções artísticas, diversos elementos colaboram para novas discussões acerca não somente do que “seria” a periferia, mas também os modos de representá-la. É neste panorama em que se nota a criação ou recriação de diversas possibilidades estéticas, inclusive das representações do espaço urbano, principalmente através da internet, além de discursos jornalísticos, publicitários e de outras ordens, que servem também como referência para o imaginário que compõe a urbe.
A partir desta mixórdia de referências, eu e o estudante de Publicidade e Propaganda e ilustrador Paulo Dias fizemos o ensaio “Cidade, contemporaneidade e (re)criação na internet: a estetização da periferia através da Favela Wave”, sobre a iniciativa carioca marcada esteticamente pela releitura do movimento estético da Vaporwave e Glitch Art. As plataformas da Favela wave apresentam/ representam os arquétipos locacionais, não somente da cidade do Rio de Janeiro, como de outras metrópoles que possuem tal construção em imagens e vídeos que mesclam signos dos “guetos” atuais com ícones de um futurismo imagético e outras características presentes em tal estética, o que chamou nossa atenção e motivou a análise do tumblr. Continuar lendo