A cidade além das cenas: uma entrevista com Fernando Segtowick

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Famílias e seus problemas, angústias e aparências; uma versão não estereotipada de uma das principais lendas do estado; a maior manifestação religiosa do estado e do país como um “suspense” e mesmo drama pessoal e urbano. Dias (2001), Matinta (2010) e No movimento da Fé (2013). Em quinze anos, os curtas metragens de Fernando Segtowick, como estes citados, talvez já tenham conseguido demarcar (ou criar?) certo espaço e “aceitação”, seja pela crítica, seja pelo público. Mais que isso, suas obras audiovisuais contribuem ou mesmo expressam certa realidade contemporânea da Amazônia; em movimento, fluida, problemática e instigante, que incita também transformações na fisionomia da cidade.
Levando em conta tudo isto, no início de abril de 2015, o grupo de pesquisa “Comunicação, Antropologia e Filosofia: estética e experiência na comunicação visual, audiovisual e literária urbana da contemporaneidade de Belém do Pará”, coordenado pelo Prof. Dr. Relivaldo Pinho, da Universidade da Amazônia (Unama), entrevistou Segtowick. A conversa é uma das que integrarão o documentário que está sendo produzido pelo grupo e será lançado no segundo semestre. Continuar lendo

Premiado, livro sobre cinema e literatura da Amazônia será lançado em Belém

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

O livro “Antropologia e filosofia: experiência e estética na literatura e no cinema da Amazônia”, de Relivaldo Pinho, será lançado na próxima sexta-feira (05) no estande da Universidade federal do Pará (UFPA), na Feira Pan-Amazônica do Livro.
A obra de Relivaldo, que é doutor em Ciências Sociais (Antropologia) e professor do Mestrado em Comunicação, Linguagens e Cultura da Unama foi vencedora da edição de 2012 do Prêmio Bendito Nunes de Teses de Doutorado e será publicada pela Editora da Universidade Federal do Pará (ed.ufpa).
No livro são estudadas as obras “Belém do Grão Pará”, de Dalcídio Jurandir, “Altar em chamas”, de João de Jesus Paes Loureiro, “Os Éguas”, de Edyr Augusto, e os filmes “Um dia qualquer”, de Líbero Luxardo, “Ver-o-Peso”, de Januário Guedes, Peter Roland e Sônia Freitas e “Dias”, de Fernando Segtowick. Continuar lendo

Das praças das cidades às dos shoppings: uma conversa com Ernani Chaves

Foto: Priscila Bentes

Foto: Priscila Bentes

Das praças das metrópoles do final do século XIX e início dos XX às praças de alimentação dos shoppings centers contemporâneos. Do caminhar do flâneur, anônimo na multidão, mas central nela mesma, ao caminhar deambulatório de um passante “comum” na confusão das grandes cidades.
Essas e outras discussões fizeram parte da segunda entrevista do documentário que está sendo produzido pela equipe do projeto de pesquisa “Comunicação, Antropologia e Filosofia: estética e experiência na comunicação visual, audiovisual e literária urbana da contemporaneidade de Belém do Pará”, coordenado pelo Prof. Dr. Relivaldo Pinho de Oliveira, da Universidade da Amazônia (Unama). A conversa foi realizada com o professor Ernani Chaves, no final de 2014. Continuar lendo

Bregas serão enredo da websérie “Sampleados”

Fonte: Reprodução

Fonte: Reprodução

Músicas de brega, tecnobrega e histórias de vida. O diálogo, aparentemente inusitado, será a base da websérie Sampleados, que será lançada ainda este semestre.
Ao todo, serão cinco episódios com enredo independente, que apresentam histórias que trazem o mesmo conceito do curta metragem Encantada do Brega, que fez grande sucesso durante o final do ano passado. Transitando entre os gêneros comédia e drama, a produção terá como trilha mash-ups de bregas antigos e atuais. Continuar lendo

Belém, esse estranho ir e vir, ou uma conversa com Edyr

Foto: Priscila Bentes

Edyr Augusto em entrevista em dezembro de 2014. Foto: Priscila Bentes

Tarde de sexta-feira de dezembro. O calor comum em Belém castiga quem passa pela Presidente Vargas. Em uma sala de um prédio da avenida, mais precisamente o escritório da Rádio Jovem Pan, no Palácio do Rádio, um senhor toma alguns goles de Coca-Cola e mostra as edições francesas de seus livros, tendo atrás de si uma parede amarela com quadros em pop art de Audrey Hepburn.

Continuar lendo

Especial Vias de Guerra discute os problemas do trânsito em Belém

vias de guerra

Arte: Maycon Nunes.

Na segunda semana de 2015, o Diário On Line (DOL) publicou o Especial Vias de Guerra, com conteúdo exclusivo sobre um dos maiores problemas da cidade: o trânsito.
Imprudência ao se avançar sinal fechado, recorrência em acidentes com motociclistas, alto número de colisões em cruzamentos, falta de vias de escoamento do tráfego, falta de sistema de transporte coletivo – de fato, operante e eficiente – são alguns dos fatores que tornam o trânsito na capital paraense cada vez mais perigoso e violento. Continuar lendo

ENTREVISTA | Henry Burnett

henry burnett

Foto: Marina Cavalcante

Henry Burnett nasceu em Belém do Pará em 1971. Pós-doutor em Filosofia, viveu na capital paraense até os 27 anos. Morou em Campinas, Rio de Janeiro, São Paulo e atualmente reside em São José dos Campos/SP, onde é professor na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Henry também é músico e ao longo de mais de 20 anos de trabalho como compositor desenvolveu uma identidade musical que resulta tanto da vivência de sua cidade natal quanto das informações da tradição do cancioneiro popular brasileiro.
Em janeiro, fiz uma pequena entrevista com Burnett por conta das “comemorações”(?) sobre os 399 anos de Belém. Apenas cinco perguntas, mas que servem de provocações e reflexões a partir de suas impressões. Abaixo reproduzo a entrevista completa. Confira: Continuar lendo